Porque Jogos Vorazes é phoda?

                        Couple-josh-hutcherson-peeta-the-hunger-games-favim.com-524774_large
Outra vez cheguei atrasada para "a febre do momento". É sempre assim, ou eu chego muitooo adiantada, tipo Adele, que conheci e era vidrada na mulher séculos antes de neguinho saber quem era, ou chego depois que a mania já está instalada e todos estão já devidamente medicados. Foi o que aconteceu com Jogos Vorazes (Hunger Games, editora Rocco, R$80,40 a trilogia e por volta de R$25 a R$30 cada um na Livraria Saraiva). Mas eu tenho que me defender...acho que a maioria das pessoas já sabe que eu odeio crepúsculo, se não sabe, fica sabendo, eu odeio crepúsculo com todas as minhas forças. Fiquei praticamente traumatizada com tamanha babaquice e estupidez, mais ainda com o sucesso que uma coisa tão toscaaaaaa como aquela fez...tá, vou deixar o meu ódio pra outro post; então, quando me falaram de Hunger Games - e me falaram nesses termos "ah, é um futuro que adolescentes competem numa arena e pra vencer tem que matar uns aos outros, ganha o que ficar vivo por último, e tem um triângulo amoroso" - eu pensei que fosse outra patacoada romantizóide com a tal arena de codjuvante fajuta, só pra ter um diferencial dos vampiros fajutos. Maaas aí, uma pá de gente começou a falar que era isso e aquilo, quando saiu o filme queriam me arrastar pra ver e tal. Só sossegaram quando disse que ia ler primeiro pra depois ver o filme, só que realmente aconteceram problemas de percalço e eu só puder ler(e na sequência ver o filme) agora, há algumas semanas atrás, e ainda não me refiz completamente. Se em Crepúsculo, chega a pingar melado das páginas de tão "romântico"(existem formas de se fazer uma coisa romântica sem ficar imbecil, mas parece que Stephanie Meyer desconhece essa técnica, chama-se talento), Jogos Vorazes tem uns respingos de fofura, muuuito esparsos e comedidos. Aqui, o amor juvenil é só mais uma soma à tragédia generalizada, não servindo de bálsamo ou consolo de toda a ação sanguinolenta à volta.

                         Tumblr_mc7loxez831ryg1cvo1_500_large
Respondendo à pergunta do título do post: Jogos Vorazes é phoda porque é um livro que embora seja apresentado como fantasia, assim como O Senhor dos Anéis, As Crônicas de Nárnia e Harry Potter (há outros também) qualquer que seja a idade do leitor, defronta-nos com questões tanto de ordem individual quanto de sociedade, passa-se moral sem moralismo. Valores, ideais e ética são "pregados" sem "pregação"...um só exemplo: aos poucos Katniss chega a conclusão que os rebeldes podem ser tão autoritários e cruéis quanto os ditadores, ou seja, nenhuma democracia pode prosperar com pensamentos e sentimentos movidos pelo radicalismo. 

Sinopse
The Hunger Games. Narrado em primeira pessoa, o livro acompanha Katniss Everdeen, uma garota de dezesseis anos que vive em um mundo pós-apocalíptico, em um país distópico chamado Panem - localizado onde estaria a América do Norte. O país é dominado por uma metrópole tecnologicamente avançada chamada Capital, que realiza anualmente os Jogos Vorazes, nos quais um garoto e uma garota, entre doze e dezoito anos, de cada um dos doze distritos do país(chamados tributos) são selecionados através de sorteio para participar de uma batalha televisionada em uma arena da qual apenas um deles deve sair vitorioso e sobreviver. Na verdade, Os Jogos são uma punição pelo Levante que aconteceu anos antes, uma revolução liderada pelo distrito 13, que foi dizimado, é uma lembrança para os outros distritos que eles não podem sequer pensar em resistir à Capital, assim, a maioria deles vive ameaçado com a perspectiva de ver seus filhos indo para a morte certa. 
O primeiro livro é o mais leve, digamos, porque é só uma apresentação ao mundo louco e cruel que não é tão distante do nosso. O povo de Capital, com seu figurino de Lady Gaga, maquiagem de Nicki Minaj e perucas da Katy Perry é, no mínimo alienado, e também ele, vítima do regime autoritário do presidente Snow, a diferença é que eles nem sequer se importam em saber disso. 

Em Chamas(Catching Fire) já vai mais fundo, tanto na ação quanto nos sentimentos controversos de Katniss, e já começa a despontar a loucura que a confronta em A Esperança(Monckinjay). Pra não dar mais spoiler, deixo aqui meu penúltimo comentário pessoal : Apesar de não haver uma só cena de sexo, e não estou dizendo que ela tivesse que descrever até os poros dos personagens, mas poderia sim haver uma subentendida que fosse, cena de amor carnal entre Peeta - maravilhoso exemplo de como fazer um personagem bom sem ser bonzinho, fazer o bem e inspirá-lo sem irritar, escolher o certo pura e simplesmente pelo seu natural bom-senso, mas sem moralismo, como muitas vezes acaba parecendo, entende?! -  e Katniss, pois embora o foco de ambos seja a sobrevivência, há sim espaço pra tal ensejo, principalmente no segundo livro, em que eles dormem no mesmo quarto no trem indo para Capital, mas é um livro "juvenil" portanto, e segundo o acordo mudo de editoras e autores(as) não pode haver sexo em livros desse tipo. Hipocrisia que muito me irrita , fosse outra obra, mereceria mais críticas, mas sendo Jogos Vorazes, tá perdoada, Susu!  

Último comentário: 

Jogos Vorazes é intenso, e brutal, o vocabulário é raso, mas talvez a narrativa frenética assim o peça. Nas pouquíssimas partes fofas, ele também não chega a incomodar...por falar nisso, se tem uma coisa que este livro é, é incômodo. Incomoda porque fala de guerras e como a maioria das vítimas são as pessoas que não tem nada a ver com elas. Os traumas e marcas, inclusive mentais e permanentes, que combates armados, justificados ou não trazem e deixam. Incomoda porque muitas vezes não há certo e errado, só errado e errado, e não há como manter a honra e a dignidade, mas se você não tem honra nem dignidade, pra quê viver? Incomoda porque Effie Trinked espelha Capital melhor do que qualquer personagem. No meio dos trinados e cabelos coloridos, ela sabe o horror da ditadura em que vive, ela sabe que pessoas, crianças morrem de fome enquanto nas festas da Capital, se vomita pra depois comer mais, sabe que adolescentes morrem numa arena desleal todos os anos, ela simplesmente escolhe não perceber o grotesco disso tudo, a insanidade que isso representa. Incomoda porque é brutal, sanguinolento, triste, caótico, e também, sublime, emblemático...e real. 
Idéia do Enredo:
Segundo Suzanne Collins, a ideia para The Hunger Games surgiu enquanto ela zapeava canais na televisão. Em um canal, a autora observou pessoas competindo em um reality show e em outro viu cenas da Guerra no Iraque. As duas coisas "começaram a se confundir de um modo muito inquietante" e a ideia para o livro foi formada. O mito grego de Teseu serviu de base para a história - a personagem principal Katniss seria como um Teseu futurista - e os gladiadores romanos completaram o quadro. A sensação de perda que Suzanne teve quando o pai prestou serviço militar na Guerra do Vietnã também contribuiu para o desenvolvimento do livro, no qual a protagonista perdeu o pai aos onze anos de idade - cinco anos antes do início da história.

A Crítica

O livro foi geralmente bem recebido pelos críticos especializados. Stephen King escreveu uma resenha para o Entertainment Weekly, na qual o avaliou com um "B" e notou que apesar do "triângulo amoroso ser algo bem comum" nos livros destinados a jovens adultos, "o resto de The Hunger Games é uma história violenta e movimentada, que gera um suspense quase constante e talvez até bastante controvérsia. Eu não conseguia parar de ler". Em uma resenha para o New York TimesJohn Green afirmou que - assim como The Dead and the Gone de Susan Beth Pfeffer - o livro se destaca no "crescente mar de distopias" e publicações pós-apocalípticas dos últimos tempos por "sua premissa com um futuro terrivelmente bem imaginado e soberba caracterização", além do enredo escrito "de forma brilhante", com "um ritmo perfeito", mesmo que o "conceito não [seja] exatamente original", comparando-o com o japonês Battle Royale. Ele também comentou que a escrita "não tem nada de espetacular - as palavras descrevem a ação e pouco mais", mas sua força vem "da convincente construção do universo e da memorável, complexa e fascinante heroína".

 Alguns gifs do meu Tumblr:
                                                                                                 Katniss_jogos_vorazes_large                                  No words! 
                                                       #addicted to HG!!!            
      Ok, they’re cute 2gether, but I still prefere Peeta.
                                                                           

 
   Tumblr_mc7pizgboz1rz2cbjo1_500_large
Ah, fiz um post lá na página Criticanda e Analisanda também, dá uma olhada!
                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Anônimos não são bem vindos, deixe seu e-mail para eu poder responder.
Pedidos de afiliação, vá na página Parceria/Afiliação e comente lá, pedidos de outras formas serão ignorados.