Amanhecer parte 2: Única coisa boa é que.... ACABOU!!!

Observação Importante: Se você for fã de crepúsculo, aconselho não ler a postagem abaixo, poque certamente isso te fará odiar-me e talvez queira expor esse ódio num comentário, simplesmente desnecessário, uma vez que será excluído tanto do blog, quanto da minha mente, após lido.

                                         
Tá, eu vou dar um chilique básico! COMO ALGUÉM COM MAIS DE DOIS NEURÔNIOS CONSEGUE GOSTAR DESSA PORRA?? Desde sempre que eu acho a Bela uma garota insegura, ridiculamente sem graça e imatura (mas não imatura como qualquer garota da idade dela seria, mas de um jeito que chega a sugerir alguma limitação mental). A história teria algum sentido se se passasse no século XIX(19). Se ela fosse uma princesa trancada na torre mais alta de um castelo na beira de um penhasco, não seria tão desprotegida! Foi pra isso que na metade da década de 60 as mulheres queimaram-simbolicamente- os sutiãs? Eu não sou contra o romantismo, sou contra a imbecilidade! O moralismo! A hipocrisia! A falta de talento recompensada, enquanto atores de verdade são esquecidos!
Outra coisa: acho que Kristen e Robert nunca namoraram, que os produtores dos filmes antes de escalá-los disseram que eles teriam que fingir um romance e até a traição fazia parte do golpe de marketing. Querem apostar que no início do ano eles "romperão" de vez?

Agora vou deixar-lhes com um artigo da Carol Nogueira da VEJA que eu muito apreciei!
A impressão ao assistir A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2 é de que o diretor Bill Condon finalmente tomou vergonha na cara. Foram embora o brilho dos vampiros – aquele que os deixava quase translúcidos –, os lobos falantes e a violência contida demais para uma história sobre sugadores de sangue, entre outros pontos vergonhosos que marcaram os filmes anteriores da série, CrepúsculoLua NovaEclipse e Amanhecer (este, dividido em duas partes para alcançar maior bilheteria). No entanto, nada disso foi suficiente para transformar o longa em uma experiência cinematográfica decente – ainda não passa de entretenimento fácil.
Os elementos que tornavam risíveis as partes anteriores da franquia – as péssimas atuações, o roteiro sem ritmo, os diálogos fracos e os efeitos especiais toscos – também aparecem no novo filme, que estreia nesta quinta-feira no mundo todo. E é claro que, nem Condon nem o estúdio Summit Entertainment fariam algo para mudar isso. Afinal, até agora deu certo: os filmes conquistaram uma grande quantidade de fãs e arrecadaram, juntos, 2,5 bilhões de dólares ao redor do globo, além de transformarem seus três atores principais – Robert Pattinson, Kristen Stewart (que formam um casal na vida real) e Taylor Lautner – em estrelas.

Há, no entanto, uma cena corajosa no clímax do filme. Ao saber que os Volturi (poderosa família de vampiros italianos) estão atrás de Edward (Pattinson) e Bella (Kristen) por acreditarem que a filha do casal, Renesmee (Mackenzie Foy), é imortal (uma eterna criança), os vampiros convocam todos seus amigos para ajudarem a lutar contra o vilão Aro (um divertido Michael Sheen) e provar que a garota, na verdade, entrará na fase adulta normalmente, embora seja metade humana, metade vampira.
Tudo isso culmina em uma batalha épica, a mais violenta da série, ainda que não haja muito sangue, em que cabeças e membros são decepados sem a menor cerimônia – na verdade, é incrível que a classificação indicativa do filme seja de apenas 12 anos. No entanto, no mesmo segmento do longa, vem uma reviravolta desestimulante -- uma escolha tomada, provavelmente, para não desagradar aos fãs dos livros de Stephenie Meyer.Também são desestimulantes as tão faladas cenas de sexo entre Edward e Bella. Transformada em vampira após quase morrer ao dar à luz, a personagem de Kristen descobre que "nasceu para ser vampira" e que sua libido como tal é infinita – ainda assim, as tais cenas são deixadas no chinelo por qualquer foto do flagra da traição da atriz com o diretor Rupert Sanders, em julho. Sexo, onde?
Assim como todo o resto da saga, o problema de Amanhecer – Parte 2 é que a história demora a engatar e ficar interessante. Não havia necessidade alguma de dividir Amanhecer em duas partes, já que nesse segundo filme, pouca coisa acontece de fato. Já vai tarde, Crepúsculo. Após um ano fraco para o cinema, a saga vampiresca não vai fazer falta alguma. Agora, é torcer para que as séries que venham a tomar seu lugar sejam mais ousadas -- e melhores.

2 comentários:

  1. Também não gosto da saga creúsculo, acho muito sem graça a Bella tme menos expressão que um tijolo durante todos os filmes! Muito chato todos os filmes da saga.

    the-zombieworld.blogspot.com
    Becky Nunes

    ResponderExcluir
  2. Não sou fã,mais queria assistir a parte 2!
    Não tenho nada contra ao que você falou pois disse sua opinião e nada mais!
    Beijos :*
    cupcakeedicoes.blogspot.com
    emfrente-aoespelho.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Anônimos não são bem vindos, deixe seu e-mail para eu poder responder.
Pedidos de afiliação, vá na página Parceria/Afiliação e comente lá, pedidos de outras formas serão ignorados.