Três disfunções de saúde que fazem engordar



Foto e Texto retirados de Yahoo.com.br

Fechar a boca, manter uma dieta balanceada e praticar atividades físicas: esse são os melhores métodos para perder os quilinhos extras de forma saudável. No entanto, se você anda fazendo a lição de casa direitinho e não notou nenhuma redução de peso ou medidas, fique atenta, pois existem fatores que afetam a sua saúde e podem interferir no emagrecimento.
De acordo com a ginecologista e obstetra Denise Gomes, diretora médica da Plena Clínica, distúrbios hormonais, emoções descontroladas e doenças metabólicas como o diabetes são fatores patológicos que influenciam o ganho de peso. “Uma doença muito frequente é o hipotireoidismo, que ocorre quando a glândula tireóide produz quantidades insuficientes dos seus hormônios T3 e T4. Esse processo deixa o metabolismo mais lento, dificultando o emagrecimento. Para reverter esse quadro é indicada uma reposição hormonal”, explica a médica. 

Algumas desordens no organismo podem influenciar no balanço energético e dificultar a perda de peso. A ginecologista Denise Gomes revela três delas que comprometem a saúde feminina e não favorecem a perda de peso, confira: 

Uso de anticoncepcional 
Em algumas mulheres, o uso de anticoncepcional pode predispor à retenção de líquido, o que garante a elas um pouco de edema e consequentemente favorece o ganho de peso. O responsável por esses quilinhos a mais é o hormônio estrógeno, que está presente em alguns medicamentos e pode levar à retenção de líquido e prejudicar a eliminação. “Além disso, há mulheres que notam inchaço após iniciar a pílula, e isso pode refletir na balança”, destaca a médica.

A melhor maneira de driblar o problema ocorre trocando a pílula. O ideal é buscar outra que ofereça menos riscos à saúde e amenize os efeitos colaterais. “As novas pílulas disponíveis no mercado possuem uma dosagem menor de estrógeno, sendo que algumas possuem até mesmo hormônio diurético e não causam retenção hídrica”, diz Denise. 

Hormônios descontrolados
Quem sofre com doenças que alteram a produção hormonal como a  Síndrome dos Ovários Policísticos também apresenta dificuldade para emagrecer. “A doença desregula os hormônios e interfere no funcionamento do pâncreas, que produz uma quantidade maior de insulina. Quanto mais o organismo produz insulina, maior a sensação de fome”, ressalta. Outro fator que pode desencadear o aumento de peso é o desequilíbrio dos hormônios da hipófise (LH e FSH), ambos são responsáveis pelo controle dos ovários. Essa disfunção pode induzir ao ganho de peso. Portanto, se a paciente notar menstruação desregulada, pele oleosa e aumento excessivo de peso, deve procurar um médico para investigar o problema.

Estresse no dia a dia
O estresse regular altera o metabolismo, deixando-o mais lento, o que dificulta o gasto energético. O nervosismo induz a pessoa a abusar na hora de se alimentar, uma medida para satisfazer a tensão. ”É preciso controlar as emoções, pois o estresse produz substâncias como cortisol, adrenalina e noradrenalina, que influenciam no acúmulo de gordura corporal. Procure mudar o seu estilo de vida e evite sofrer com situações que podem desencadear esse mal”, aconselha a ginecologista. Investir em atividades físicas também é ótima alternativa, pois os exercícios estimulam a liberação de substâncias que melhoram o humor e o bem-estar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Anônimos não são bem vindos, deixe seu e-mail para eu poder responder.
Pedidos de afiliação, vá na página Parceria/Afiliação e comente lá, pedidos de outras formas serão ignorados.