#Experimentando Conto: Além das Estrelas




Então, povo, vou experimentar fazer o seguinte, sábado sim, sábado não vou postar uma parte de um conto aqui, se gostarem, comentem, que eu continuo. E ignorem os erros de gramática, pontuação, essas coisas, ok?

                                          ✬✬✬Além das Estrelas✬✬✬

Samira ouviu um barulho estranho, fazia tempo que Magda havia ido à floresta buscar madeira e maçãs pro ritual básico de prosperidade que elas faziam todo mês na lua cheia.
Um uivo lhe enregelou as veias, fazendo-a ir até a porta da cabana onde as duas moravam.
Um farfalhar nos arbustos da frente fez seu coração saltar, mas era só PomPom, seu coelho de estimação junto com Isis, a gata da casa. De tanto visitarem a cabana, Samira e Magda se afeiçoaram a eles e tratavam como se fossem da família. A gata esperta que parecia dividir a alma de bruxa das duas moças, sempre as ajudava e alertava quando havia perigo. Não foi diferente dessa vez.
     
Isis se arqueou toda, e deu um silvo assustador, e foi como se Samira ouvisse a voz da gata em sua cabeça: "Entre agora! Perigo!"
Dando um salto pra trás, trancou porta e antes que pudesse respirar mais fundo, ouviu a luta feroz dos animais com o que parecia ser um predador gigantesco. A gata deu um grito e Samira se ouviu chorando desesperada: "Isis! Isis!"
Não sabia mais ser chamava pela felina ou pela Deusa. As batidas na porta não eram um pedido pra ela ser aberta, e sim, uma clara tentativa de arrombamento.
Finalmente Samira lembrou de fazer um círculo de proteção, mas antes de conseguir se mover a porta foi arrombada, e um lobo enorme, de pêlos marrons, olhos amarelos e gélidos, olhos com um ódio calculado, olhos de psicopata, veio correndo, em duas patas, como um homem andaria, de encontro à sua jugular e a voz feroz disse em sua mente: "Queria te matar devagar, mas as circunstâncias não permitem. Morra Samira!"

Quando abriu os olhos, ainda sentindo a dor lancinante no pescoço, ela tinha a sensação que se passasse a mão ali, estaria se esvaindo em sangue. Snowhite, sua gata, olhava fixamente pra ela.  Branca como neve e com enormes olhos azuis, o nome se encaixou naturalmente.

Samira olhou o relógio, eram 5:44, assim como nos outros dias. Snowhite pôs as patas no peito da dona, e finalmente o pavor do sonho pareceu começar a se dissolver.

-Você não parece nada com a Isis fisicamente, mas cês duas parecem bruxinhas de 4 patas.

Por um segundo, ela podia jurar que a gata apertou os olhos e resmungou "E você é o que? O mesmo, só que em duas pernas, tonta".

Antes que pudesse pensar sobre isso, o telefone-rosa-vintage anos 90, presente da finada tia Remô( de nome Remualda, nome este que odiava, chamada por elas de tia Retrô, por não ter conseguido se adaptar a nada após os anos 2000), tocou seu característico toque, era Magda, já ligada no 220v:

-Acordei com o teu nome na cabeça, e o Rufus dando aquele gemido esquisito que parece resmungo de velho, resolvi te ligar, o que houve? Ah! Já sei! O sonho com o lobo de novo?

-Exatamente...tô pensando em procurar um psquiatra.

-Garota. Ga. ro. ta Deixa eu respirar pra não ir aí te bater. Quando você era criança, eu era a primeira a duvidar da sua "imaginação". Até você dizer que "queria voar de noite igual mamãe" e eu ir no quarto dela, e ver a bicha levitando. Samira, eu sou engenheira química, Phd em Física teorica, ninguém gosta mais de crer que não existe nada além do que se pode tocar do que eu, mas amor, tem hora que a convicção passa a ser nada além de teimosia. É o 5º dia seguido que você tem esse sonho. Porque você não vai naquela mulher, a Lara, aquela amiga da tia Retrô?

-Pode ser. Você vai comigo?

-Claro! Se você quiser, ligo hoje mesmo pra ela. Posso pedir pra ela te atender agora de manhã mesmo.

-Não sabia que vocês eram tão amigas.

-Haha! Ciúme a essa altura da vida irmãzinha? Não, não é que ela fosse minha amiga, mas você lembra que quando a tia Retrô morreu, e você viajou? Tive que levar a Anna comigo, porque não tinha com quem deixar?

-Sim, e você lembra que eu só viajei porque o Seu Pablo foi um super amigo nosso quando papai morreu, e ele queria me ver antes de...se juntar ao papai, né?

-Samira, você é maior de idade, vive com seu próprio dinheiro, eu sou a primeira a querer que você saia, viaje, viva. E sim, seu Pablo foi um pai pra gente, se eu pudesse teria ido junto, você sabe. Mas enfim, a Anna andava com uma dor de cabeça mas essa danada não falava nada. Eu só notei um dia antes, mas sei lá porque, deixei pra lá. Depois do enterro, Anna disse que queria ir falar com a moça de rosa, como tinha gente pra cumprimentar, eu deixei, e a Lara perguntou se elas podiam dar uma volta no cemitério. Tudo bem, quando voltaram, antes da gente ir embora, ela disse que fez uns testes com a Anna, tipo, fez perguntas que uma criança na idade dela não saberia responder. E ela disse que se minha filha quiser, pode ser sacerdotisa quando crescer,ela disse com essas palavras "A dor de cabeça dela é só um sinal da miopia, ela vai ter que usar óculos. Ela é uma bruxa incubada. Tem a magia dentro de si, mas pode ou não se desenvolver. Ela tem como escolher,não é como a sua irmã, que vai ter que assumir ser bruxa uma hora, querendo ou não. Qualquer coisa, me procure. Aqui meu cartão"  e ela já tinha dito tanta coisa antes da gente, coisas que nem mamãe sabia, muito menos tia Retrô! Eu fiquei tão embasbacada que só percebi que fiquei lá parada de boca aberta e cartão na mão quando a Anna me chamou pra irmos embora.

-Bom, pode marcar com ela, mas não agora de manhã, pode ser à tarde. Agora às 7 da manhã, tenho aquela entevista na Jalapeño.

-Ah é! Ih, então vou te liberar, até porque tenho que ir acordar o Jacob e a Anna, se bem que acho que ela já acordou...acordou sim, tô ouvindo o chuveiro ligado. Nunca vi, o pai ser mais difícil de levantar que a filha. Não sei porque, mas antes de conhecer o Jacob, achava que todo judeu gostava de acordar cedo.

-Hahaha, você não existe Magda. Vai lá, vai, que se a Anna já acordou, deve tá morrrrta de fome né?

-Agora não é mais morrrrta de fome, é tô faminta desesperada, faminta desesperada mamis. Ai, que essa garota não existe. Me lembra você quando era criança.

-Eu sei, ela é perfeita. Hahahahahahahahahahahahaha.

-Humpf! Convencida. Quando sair da entrevista me liga pra dizer como foi?

-Se não ligar, pelo menos mando mensagem. Beijos.

Depois de desligar o telefone, já estava se sentindo melhor, falar com a irmã tinha esse efeito, tudo parecia se resolver, tudo sempre parecia melhor ao lado de Magda. Olhou o relógio, eram 6:10, foi correndo pro banheiro, afinal não podia chegar à entrevista atrasada. Jalapeño era a melhor empresa de games e tecnologia da América Latina não era à toa. Depois de trabalhar por dois anos e quatro meses na maior revista de moda do país, Samira decidiu que era hora de fazer jus aos seus diplomas de computação e todos seus cohecimentos na área de tecnologia. Apesar de gostar dos seus trabalhos na revista e, inclusive recusar o cargo de editora-chefe por duas vezes, e ganhar muito bem lá, sua paixão era a tecnologia, os games, aplicativos, tudo que envolvesse computação. Quando soube que havia uma chance de entrar na Jalapeño, não pensou duas vezes, e se inscreveu no programa de estágio de técnico de TI júnior, e lá foi.

Conforme Samira ia andando pro banheiro, uma sombra se assomava, atrás de si. Um nó na garganta se formava, mas ela dizia a si mesma  é só uma nuvem tapando o sol, só uma nuvem tapando o sol.  Mas não havia nuvens no céu.

Ela sentia a presença crescer e se aproximar mas lutava contra a vontade crescente de se virar, dizendo em voz alta Não é nada, não há ninguém aqui. Mas uma voz lhe respondeu, áspera, rouca e cheia de ódio:

-Agora não sou ninguém, Samira?

Gelada, apavorada contra a vontade, Samira se vira e se depara com um ser de pé, vestindo uma túnica de capuz preto, a pata esquerda marrom peluda segurando um cajado negro de uma pedra fosca, o focinho é o mesmo de seus pesadelos, os dentes se arreganham num sorriso cruel quando ele grunhe:

-Agora vou ter tempo de te matar como eu quero!

♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈ ♈



3 comentários:

  1. Começa com um clássico de Edgar Allan Poe, depois um conto de Stephen King e tudo volta em um mundo meio Agatha Cristie e depois com um final estilo Conan Doyle. Algo divino, realmente encantador a cada frase!

    ResponderExcluir
  2. Adorei! Certamente você deve continuar! :D

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Anônimos não são bem vindos, deixe seu e-mail para eu poder responder.
Pedidos de afiliação, vá na página Parceria/Afiliação e comente lá, pedidos de outras formas serão ignorados.